DESCARBONIZAÇAO

O motor, o coração dos nossos veículos

O nosso veículo utiliza o seu motor como nós usamos o nosso coração, é o que gera a energia necessária para criar o movimento.O motor foi desenvolvido e desenhado pelo fabricante para que nos ofereça uma potência e performance específicas, sempre tendo em conta que o nível de emissão de gases cumpra com a normativa europeia. Isto significa que se desenvolveram tanto o motor como todos os condutos de entrada e saída de ar da câmara de combustão com um diâmetro específico para que o volume da mistura seja o mais adequado e a combustão seja a mais eficiente possível sempre dentro dos limites a seguir.

descarga

Desde que todo este conjunto de elementos do interior do motor permaneçam livres tanto de agentes internos como externos que alteram a capacidade calculada, o motor desenvolverá toda a sua potência e performance assim como um funcionamento equilibrado.

Que manutenção habitual existe?

  • Mudança de óleo e filtros
  •  Inspeção do nível do líquido refrigerante
  • Mudança das pastilhas dos travões
  • Mudança do filtro de ar
  • Mudança do filtro do combustível

Qual é o principal motivo que pouco a pouco provoca uma perda de desempenho do coração do veículo?

 Fundamentalmente são dois fatores. O primeiro fator é o próprio desgaste dos materiais devido ao uso  e o segundo à acumulação dos resíduos (carvão) derivados da combustão incompleta.

O motor dos veículos, necessita queimar combustível na câmara de combustão para gerar movimento, é importante ter em conta  que de cada litro de combustível queimado apenas 25% gera movimento,  os outros 75% convertem-se em calor,gases contaminantes e resíduos sólidos (carvão). Os resíduos que se geram, derivados de uma combustão incompleta, vão-se acumulando pouco a pouco em todo o circuito do motor, primeiro nos elementos que estão em contacto com a zona onde se queima o combustível, que é dentro da câmara de combustão de cada cilindro do motor.

Logo os resíduos  começam a depositar-se fora da própria câmara de combustão, e vão-se depositando  por todos os elementos que compõem a admissão  e o escape, tais como EGR, FAP, turbo, catalisador, gerando-se assim um processo que poderia ser comparado aos efeitos que produz o colesterol nas artérias dol coração, uma obstrução dos condutos que provoca a perda progressiva de desempenho, perda de potência do motor, aumento do consumo, avarias dispendiosas, etc

O sistema de injeção foi desenvolvido para que o doseamento para a câmara de combustível seja o apropriado para a combustão mais adequada possível.

Os condutos de entrada e de escape de gases do motor têm um diâmetro específico para poder aspirar e expulsar o volume designado para a câmara de combustão.Também foi desenvolvido a vedação perfeita da câmara de combustão por meio do assento das válvulas, os segmentos e aros que retêm a compressão de cada explosão além de evitar que os lubrificantes e refrigerantes entram na mesma e não danifiquem o motor.

Há que ter em conta que a cilindrada do nosso motor é a consequência de uma exata capacidade da câmara de combustão a cada um dos cilindros.Assim, tal como cuidamos do nosso coração do colesterol, será fundamental manter os planos de manutenção prescritos pelos fabricantes, mas poderemos fazer algo mais?

É suficiente esta manutenção para evitar a perdida de desempenho?

A resposta é bem simples, NO

Visto que o óleo só lubrica e evita o desgaste das peças que se vêm submetidas a uma fricção, que os líquidos refrigerantes apenas evitam um sobreaquecimento e os filtros apenas evitam a entrada de impurezas e objetos estranhos aos condutos.

descarga

O carvão acumulando-se rapidamente no motor e nas peças envolvidas no processo de combustão e evacuação criando obstruções, falhas difíceis de detetar, resolver e frequentemente avarias dispendiosas.

Serviço de Descarbonização Interna do Motor

resp-10

A câmara de combustão é a génesis do nuestro motor pois é nela que é queimado o combustível e se gera a potência que nos permitirá mover.

Contudo, é também o hotspot da acumulação de resíduos sólidos resultantes da combustão.

No interior do motor, na câmara de combustão e nos elementos que atuamdiretamente com ela, o acúmulo de décimas de milímetros de resíduos (carvão) afetam e interferem com a sua eficácia e é preicso notar que há uma grande diferença no que diz respeito ao acúmulo de resíduos sólidos nos sistemasexternos do motor como o de admissão e escape. Nos sistemas externos à câmara de combustão podem dar-se casos em que algumas zonas apresentam uma espessura maior de 1,5cm até aparecer oprimeiro sinal no quadro de controlo.

Contudo, essa mesma espessura na câmara de combustão faria com que o motor se avariasse de imediato. Podemos usar como exemplo que na câmara de combustão bastam apenas umas décimas de resíduos no assento de uma válvula para começar a perder performance devido à perda de compressão uma vez que leva a que o motor gire descompensado.

Quando deveria fazer um serviço de descarbonização interna?

A PARTIR DOS PRIMEIROS 15.000 - 20.000 KM DO VEÍCULO.

Durante os primeiros 15-20.000 km percorridos de um veículo novo, ja se vão depositando os resíduos derivados da combustão e na maioria dos casos de forma muito leve e justamente nesse momento, atuando com regularidade podemos evitar que se consolidem.

Se o veículo já tem os seus anos e mais de 20.000 mil quilómetros, os resíduos derivados pela combustão já terão alcançado seguramente uma grossura considerável e ainda que não tenham chegado até níveis  de poder produzir avarias, é altamente recomendado realizar una descarbonização profunda.

A descarbonização deveria ser realizada a cada 15-20.0000 quilómetros, devendo incluir-se nas tarefas de manutenção tal como todas as outras tarefas já existentes.